Suba Seu Nível do Fanta?!?

Que a Fanta é uma droga ninguém duvida. Digo "droga" no sentido de ser uma porcaria, não de ser um entorpecente. Mas parece que os publicitários contratados para vender esse intragável líquido laranja borbulhante preferem trabalhar com a segunda interpretação. Alguém já prestou atenção na nova campanha do refrigerante? O slogan é "Suba seu nível de Fanta!". O anúncio na TV mostra um grupo de adolescentes alucinados tocando o terror na piscina de um clube. Pela agitação insana dos guris parece até tratar-se de uma festa regada a muita cocaína e ecstasy. Porém, a molecada bebeu apenas Fanta laranja, que nem álcool tem. Fanta não dá barato. Talvez dê cáncer, isso sim.

Outro produto aparentemente inofensivo que é vendido como se fosse uma droga são os achocolatados. Serve de exemplo a nova campanha do Toddy, cujo slogan é "Toddy: o chocolate que liga". No comercial de TV, duas vacas falantes aparecem tomando a bebida e conversando como se fossem clubbers. Elas discutem sobre trance, house e outros ritmos eletrônicos e parecem estar "ligadonas". Uma terceira vaca "careta" surge de repente cantando uma música antiquada e é logo repreendida pelas duas vacas doidonas que dizem para ela: "Ei, toma um toddy, vai!".

Qual é o problema de vender produtos para jovens como se fossem drogas? "Nenhum: desde que elas comprem está ótimo", responderia o mais inescrupuloso dos publicitários. Na minha opinião, a linguagem desses comerciais, ao valorizar um comportamento porra-louca, incentiva, sim, ainda que indiretamente, o uso de drogas de verdade.

Não sou a favor de censura ou qualquer coisa do gênero. Só acho que é plenamente possível vender esses mesmos produtos sem apelar dessa forma. E, para demonstrar que existe vida inteligente na propaganda, dou como exemplo o novo comercial do Sustagen. Nele, um garoto faz pirraça no supermercado com a mãe porque quer que ela compre brôcolis e chicôria. Ela lhe dá um rabanete e manda-o ficar quieto. O narrador diz que aquele garoto "não existe" e sugere que, para alimentar bem as crianças, o melhor é dar Sustagen. Ao fim, o moleque aparece bebendo um copo do produto e termina dizendo: "eu só gosto por causa dos sais minerais". Maravilhoso. Merecia um prêmio.

P.S.: A publicidade em massa já conseguiu causar um estrago de proporções gigantescas por causa de suas propagandas de tabaco e álcool. Imaginem como seriam os comerciais de outras drogas, hoje ilegais, como maconha, cocaína, ácido, ecstasy & Cia... E imaginem o efeito que tais propagandas causariam na sociedade...

P.S.2: Recomendo uma visita ao blog "Fumo, logo insisto" (http://fumologoinsisto.zip.net/). Ele reúne dados sobre a indústria do tabaco, o grau de dependência gerado pela nicotina e, o mais interessante, críticas a propagandas de cigarros. Há, por exemplo, uma propaganda impressa de um cigarro americano na década de 60 cujo garoto propaganda é ninguém menos que o Papai Noel. Lamentável.

P.S.3: Alguém precisa incluir a palavra "ética" no dicionário dos publicitários. (E dos jornalistas também, claro!)

Fernando Paiva



Adicione seu banner aqui, em troca pedimos que coloque nosso banner no seu site.
Contato