14 Bis

ADORÁVEIS CRIATURAS

Vivendo num planeta sem juízo

Que de repente pode acabar

É melhor criar o paraíso já

Cada minuto é tão importante

O tal futuro fica logo ali

O homem tem que amar seu semelhante aqui, aqui

Não é preciso morrer de fome ou de té dio

A gente nasce sabendo de cor o remédio

Quem não se cuida cai nos venenos do mundo

E deixa tudo, tudo do jeito que está

Seres luminosos brilham mais aonde é preciso de luz

A cada nova era aqui na Terra a coisa se reproduz

São adoráveis criaturas surgindo do inesperado

Deixando esse louco planeta inteiramente mudado