TITULO

BAIANIDADE NAGÔ

Já pintou verão

Calor no coração

A festa vai começar

Salvador se agita

Numa só alegria

Eternos Dodô e Osmar

Na avenida Sete

Da paz eu sou tiete

Na barra o Farol a brilhar

Carnaval na Bahia

Oitava maravilha

Nunca irei te deixar, meu amor

Eu vou

Atrás do trio elétrico vou

Dançar ao negro toque do agogô

Curtindo minha baianidade nagô ô ô ô ô

Eu queria

Que essa fantasia fosse eterna

Quem sabe um dia

A Paz vence a guerra

E viver será só festejar. eô eô


BATE LATA

Era um menino tocador que dispensou o agogô

E o tambor pra tocar lata

Do tatatá ele gostou, do tuntuntun ele adorou

E muito mais do ratatatá

Quer aprender

Pegue a latinha e bate uma na outra

Tchá, tchá…….tchá, tchá

Segure o reggae, não sussegue

Se entregue a essa viagem louca, louca, louca

Venha de lata, negão…..no meio da multidão

Se não tem lata, improvisa..bate na palma da mão


ESTRELA PRIMEIRA

Reluz do meu ser a fonte mais pura do viver

Será que é ilusão as batidas do meu coração

Pairando no ar, toda sapiência de um ser

Oh! meu bem, não vá, pois no meu eu está você

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor eu fico

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor

Custei te encontrar estrela primeira do meu céu

Princesa tu és, revela teu rosto, tira o véu

Custei te encontrar no despertar puro e encantador

Te espero amanhã, te encontro lá em São Salvador

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor eu fico

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Tô na varanda amor

Me pega nos braços me leva pra cama que eu vou

Tô na varanda amor

Me pega nos braços me leva pra cama que eu vou

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor eu fico

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo

Amor eu fico

Amor eu fico

Nesse balanço você baila comigo


NÃO REPARE NÃO

Cansei de sofrer, cansei de chorar

De só me perder por amar

Cansei de querer, cansei de sonhar

De sempre pedir sem ganhar

Tudo que eu vivi foi ilusão, só me fez perder a razão

Tô sem rumo, sem direção, se você quiser entrar no meu coração

Não repare não, a bagunça não

Não repare não, a bagunça não

Não repare essa bagunça não

Sei que é tempo de recomeçar

Tudo que passou já passou

Tô aberta a um novo amor

Se você quiser entrar no meu coração ….


PERAÊ

Para de sorrir senão te agarro

Se te pego assim sorrindo não te largo

Peraê ! Peraê ! Peraê !

Tá pensando o que ? Tá pensando o que ?

Peraê ! Peraê ! Peraê !

Tá pensando o que ? Tá pensando o que ?

Para de sorrir senão te beijo

Se te pego assim sorrindo não te deixo

Peraê ! Peraê ! Peraê !

Tá pensando o que ? Tá pensando o que ?

Peraê ! Peraê ! Peraê !

Tá pensando o que ? Tá pensando o que ?

No meu travesseiro de areia

Vem a lua cheia e me incendeia

Tá pensando que eu sou de ferro

Pra te ter sem te querer ou tá pensando o que

Se te pego não te largo

Se te agarro não te deixo

Faz tempo que te desejo

Vem aqui me dar um beijo

Se te pego não te largo

Se te agarro não te deixo

Faz tempo que te desejo

Vou ai te dar um beijo


VENHA

Eu quero entrar, qual é a senha?

Venha, venha

Da praia ao mar, da Barra a Penha

Venha, venha

Seja barão, tenha ou não tenha

Venha, venha

Se vai pagar, inteira ou meia,

Venha, venha

Vem, gente boa, de navio ou de canoa

Vem na popa, vem na proa

De charrete ou vem de trem

Vem, gente fina, vem em cima de carona

Vem, bacana, vem na onda

Aqui ninguém é de ninguém

Eu quero entrar, qual é a senha?

Venha, venha

Seja barão, tenha ou não tenha

Venha, venha

Venha, venha , venha, venha, venha , venha, venha, venha,

venha, venha venha

Freia! freia!

Toc, toc, toc, tem gente aí

Toc, toc, que eu quero entrar

Toc, toc, abre que é pauleira

Alegria brasileira, a tristeza vai passar