Marisa Monte

A SUA

Eu só quero que você saiba

Que estou pensando em você

Agora e sempre mais

Eu só quero que você ouça

A canção que eu fiz pra dizer

Que eu te adoro cada vez mais

E que eu te quero sempre em paz

Tô com sintomas de saudade

Estou pensando em você

E como eu te quero tanto bem

Aonde for não quero dor

Eu tomo conta de você

Mas, te quero livre também

Como o tempo vai

E o vento vem

Eu só quero que você caiba

No meu colo

Por que eu te adoro cada vez mais

Eu só quero que você siga

Para onde quiser

Que eu não vou ficar muito atrás


ABOLOLÔ

Abololô, Abololô

E a saudade vem

Vem pra lhe dizer que no peito

Há vazio há falta de alguém

Abololô, Abololô

E a saudade vem

Vem pra qualquer um qualquer hora

Por alguém que foi pra longe já volta

Foi para não mais voltar

Gente que sente e que chora

Alguém que foi embora


ÁGUA TAMBÉM É MAR

Água também é mar

E aqui na praia também é margem

Já que não é urgente

Agüente e sente aguarde o temporal

Chuva também é água do mar lavada

No céu imagem

Há que tirar o sapato e pisar

Com tato nesse litoral

Gire a torneira, perigas ver

Inunda o mundo, o barco é você

Na distância, há de sonhar

Há de estancar

Gotas tantas não demora

Sede estranha

Gire a torneira, perigas ver

Inunda o mundo, o barco é você


AINDA LEMBRO

Ainda lembro o que passou

Eu você em qualquer lugar

Dizendo “Aonde você for, eu vou”

E quando eu perguntei

Ouvi você dizer

Que eu era tudo o que você sempre quis.

Mesmo triste eu tava feliz

E acabei acreditando em ilusões

Eu nem pensava em ter

Que esquecer você

Agora vem você dizer

“Amor, eu errei com você

E só assim pude entender

que o grande mal que eu fiz

foi a mim mesmo”

Vem você dizer

“Amor, eu não pude evitar”

E eu te dizendo

Liga o som

E apaga a luz


AMOR I LOVE YOU

Deixa eu dizer que te amo

Deixa eu pensar em você

Isso me acalma

me acolhe a alma

Isso me ajuda a viver

Hoje contei pra as paredes

Coisas do meu coração

Passeei no tempo

Caminhei nas horas

Mais do que passo a paixão

É um espelho sem razão

Quer amor fique aqui

Meu peito agora dispara

Vivo em constante alegria

É o amor quem está aqui

Amor I love you

Amor I love you

Amor I love you

Amor I love you

Primo Basílio - Eça de Queiroz (1878) (…) Tinha suspirado, tinha beijado o papel devotamente! Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades, e o seu orgulho dilatava-se ao calor amoroso que saía delas, como um corpo ressequido que se estira num banho tépido; sentia um acréscimo de estima por si mesma, e parecia-lhe que entrava enfim numa existência superiormente interessante, onde cada hora tinha o seu encanto diferente, cada passo conduzia a um êxtase, e a alma se cobria de um luxo radioso de sensações!


ANDO MEIO DESLIGADO

Ando meio desligado

Eu nem sinto meus pés no chão

Olho e não vejo nada

Eu só penso se você me quer

Eu nem vejo a hora de lhe dizer

Aquilo tudo que eu decorei

E depois o beijo que eu já sonhei

Você vai sentir, mas…

Por favor, não leve a mal

Eu só quero que você me queira

Não leve a mal


AO MEU REDOR

Ao meu redor está deserto

você não está por perto

e ainda está tão perto

Dentro dessa geladeira, dentro da despensa e do fogão

Dentro da gaveta, dentro da garagem e no porão

Em todos os armários, nos vestidos, nos remédios, num botão

Por dentro das paredes, pelos quartos, pelos prédios e no portão

Até no que eu não enxergo

Até mesmo quando eu não quero

Eu não quero

Dentro da camisa, no sapato, no cigarro

na revista, na piscina, na janela, no carro ao lado

No som do rádio eu ouço a mesma coisa

o tempo inteiro, em fevereiro, em janeiro, em dezembro

Ao meu redor está deserto

Tudo que está por perto

ainda está tão perto


BEIJA EU

Seja eu,

Seja eu,

Deixa que eu seja eu,

E aceita

O que seja seu.

E então deita e aceita eu.

Molha eu,

Seca eu,

Deixa que eu seja o céu.

E receba

o que seja seu.

Anoiteça e amanheça eu.

Beija eu,

Beija eu,

Beija eu, me beija.

Deixa

o que seja ser.

Então beba e receba

meu corpo no seu corpo,

eu no eu corpo.

Deixa.

Eu me deixo.

Anoiteça e amanheça


BEM LEVE

Bem leve leve revele

quem pouse a pele

em cima de

madeira

beira beira

quem dera mera mera

cadeira

mas breve breve

revele

vele vele

quem pese

dos pés a caveira

Dali da beira uma palavra cai do chão

caixão

dessa maneira

Uma palavra de madeira em cada mão

Imbuia

Cerejeira

Jacarandá, Peroba, Pinho, Jatobá

Cabreúva

Garapera

Dali da beira uma palavra cai do chão

caixão

dessa maneira


BEM QUE SE QUIS

Bem que se quis

Depois de tudo ainda ser feliz

Mas já não há caminho pra voltar.

O que é que a vida fez da nossa vida?

O que é que a gente não faz por amor?

Mas tanto faz,

Já me esqueci de te esquecer porque

O teu desejo é o meu melhor prazer

E o meu destino é querer sempre mais

A minha estrada corre pro teu mar.

Agora vem pra perto vem

Vem depressa vem sem fim dentro de mim

Que eu quero sentir

O teu corpo pesando sobre o meu

Vem meu amor vem pra mim,

Me abraça devagar,

Me beija e me faz esquecer


BORBOLETA

Borboleta pequenina

Saia fora do rosal

Venha ver quanta alegria

Que hoje é noite de Natal

Eu sou uma borboleta

Pequenina e feiticeira

Ando no meio das flores

Procurando quem me queira

Borboleta pequenina

Venha para o meu cordão

Venha ver cantar o hino

Que hoje é noite de Natal


CHOCOLATE

Chocolate, chocolate, chocolate

Eu só quero chocolate

Só quero chocolate

Não adianta vir, com guaraná pra mim

É chocolate o que eu quero beber

Não quero pó, não quero rapé

Não quero cocaína me liguei no chocolate

Eu me liguei, só quero chocolate

Não adianta vir, com guaraná pra mim

É chocolate o que eu quero beber

Não quero chá, não quero café

Não quero coca-cola

Me liguei no chocolate

Só quero chocolate

Não adianta vir, com guaraná pra mim

É chocolate o que eu quero beber


CHUVA NO BREJO

Olha como a chuva cai

E molha a folha aqui na telha

Faz um som assim

Um barulhinho bom

Faz um som assim

Um barulhinho bom

Água nova

Vida veio ver-te

Voa passarinho

No teu canto canta

Antiga cantiga

No teu canto canta

Antiga cantiga


CINCO MINUTOS

Pedi você

Prá esperar 5 minutos só

Você foi embora

sem me atender

Não sabe o que perdeu

Pois você não viu,

você não viu…

Como eu fiquei

Pedi Você

Prá esperar 5 minutos só

você foi embora,

embora, embora

sem me atender…

pois você não viu,

não viu, não viu

como eu fiquei

dizem que foi chorando,

sorrindo, cantando

Os meus amigos,

meus amigos, até disseram

Que foi amando, amando

Pois você não sabe,

você não sabe

E nunca, e nunca,

E nunca, e nunca,

E nunca, e nunca,

Vai saber porque

Pois você não sabe

quanto vale cinco minutos,

Cinco minutos na vida


COMIDA

bebida é água.

comida é pasto.

você tem sede de quê?

você tem fome de quê?

a gente não quer só comida,

a gente quer comida, diversão e arte.

a gente não quer só comida,

a gente quer saída para qualquer parte

a gente não quer só comida,

a gente quer bebida, diversão, balé.

a gente não quer só comida,

a gente quer a vida como a vida quer.

bebida é água.

comida é pasto.

você tem sede de quê?

você tem fome de quê?

a gente não quer só comer,

a gente quer comer e quer fazer amor.

a gente não quer só comer,

a gente quer prazer pra aliviar a dor.

a gente não quer só dinheiro,

a gente quer dinheiro e felicidade.

a gente não quer só dinheiro,

a gente quer inteiro e não pela metade.

bebida é água.

comida é pasto.

você tem sede de quê?

você tem fome de quê?


DANÇA DA SOLIDÃO

Solidão é lava que cobre tudo

Amargura em minha boca

Sorri seus dentes de chumbo

Solidão palavra cavada no coração

Resignado e mudo

No compasso da desilusão

Desilusão, desilusão

Danço eu dança você

Na dança da solidão

Caméllia ficou viúva, Joana se apaixonou

Maria tentou a morte, por causa do seu amor

Meu pai sempre me dizia, meu filho tome cuidado

Quando eu penso no futuro, não esqueço o meu passado

Quando vem a madrugada, meu pensamento vagueia

Corro os dedos na viola, contemplando a lua cheia

Apesar de tudo existe, uma fonte de água pura

Quem beber daquela água, não terá mais amargura


DE MAIS NINGUÉM

Se ela me deixou, a dor

é minha só, não e de mais ninguém.

Aos outros eu devolvo a dó,

Eu tenho a minha dor.

Se ela preferiu ficar sozinha,

ou já tem um outro bem.

Se ela me deixou a dor é minha,

a dor é de quem tem.

É meu troféu, é o que restou,

é o que me aquece sem me dar calor.

Se eu não tenho o meu amor,

eu tenho a minha dor.

A sala, o quarto, a casa está vazia,

a cozinha, o corredor.

Se nos meus braços ela não se aninha,

a dor é minha.

É o meu lençol, é o cobertor,

É o que me aquece sem me dar calor.

Se eu não tenho o meu amor

Eu tenho a minha dor


DE NOITE NA CAMA

De noite na cama eu fico pensando

Se você me ama e quando

Se você me ama eu fico pensando

De noite na cama e quando

De dia eu faço graça pra não dar bandeira

Não deixo você ver

De dia tudo passa como brincadeira

Por longe de você

Por onde você mora, para se demora

Por hora não vou ter coragem de dizer

Mas há de haver a hora

Se você for embora

Agora…


DIARIAMENTE

Para calar a boca: Rícino

Pra lavar a roupa: Omo

Para viagem longa: Jato

Para difíceis contas: Calculadora

Para o pneu na lona: Jacaré

Para a pantalona: Nesga

Para pular a onda: Litoral

Para lápis ter ponta: Apontador

Para o Pará e o Amazonas: Látex

Para parar na pamplona: Assis

Para trazer à tona: Homem - Rã

Para a melhor azeitona: Ibéria

Para o presente da noiva: Marzipã

Para Adidas o Conga: Nacional

Para o outono a folha: Exclusão

Para embaixo da sombra: Guarda -Sol

Para todas as coisas: Dicionário

Para que fiquem prontas: Paciência

Para dormir a fronha: Madrigal

Para brincar na gangorra: Dois

Para fazer uma toca: Bobs

Para beber uma coca: Drops

Para ferver uma sopa: Graus

Para a luz lá na roça: 220 volts

Para vigias em ronda: Café

Para limpar a lousa: Apagador

Para o beijo da moça Paladar

Para uma voz muito rouca: Hortelã

Para a cor roxa: Ataúde

Para a galocha: Verlon

Para ser moda: Melancia

Para abrir a rosa: Temporada

Para aumentar a vitrola: Sábado

Para a cama de mola: Hóspede

Para trancar bem a porta: Cadeado

Para que serve a calota: Volkswagen

Para quem não acorda: Balde

Para a letra torta: Pauta

Para parecer mais nova: Avon

Para os dias de prova: Amnésia

Pra estourar a pipoca: Barulho

Para quem se afoga: Isopor

Para levar na escola: Condução

Para as dias de folga: Namorado

Para o automóvel que capota: Guincho

Para fechar uma aposta: Paraninfo

Para quem se comporta: Brinde

Para a mulher que aborta: Repouso

Para saber a resposta: Vide - o - Verso

Para escolher a compota: Jundiaí

Para a menina que engorda: Hipofagi

Para a comida das orcas: Krill

Para o telefone que toca:

Para a água lá na poça

Para a mesa que vai ser posta

Para você o que você gosta: Diariamente


E.C.T.

Tava com um cara que carimba postais

E por descuido abriu uma carta que encontrou

Tomou um susto que lhe abriu a boca

Esse recado veio pra mim, não pro senhor

Recebo crack, crocante, dinheiro farto embrulhado

Em papel carbono e barbante e até cabelo cortado

Retrato de 3x4 pra batizado distante

Mas isso aqui, meu senhor, é uma carta de amor

Levo o mundo e não vou lá

Mas este cara tem a língua solta

A minha carta ele musicou

Tava em casa, a vitamina pronta

Ouvi no rádio a minha carta de amor

Dizendo “eu caso contente, papel passado e presente desembrulhado

Vestido, eu volto logo me espera

Não brigue nunca comigo eu quero ver nosso filho

O professor me ensinou a fazer uma carta de amor…


ENSABOA

Sabão pedacinho assim

Olha água um pinguinho assim

O tanque um tanquinho assim

A roupa um tantão assim

Ensaboa mulata ensaboa

Ensaboa tô ensaboando

Tô lavando a minha roupa

Lá em casa estão me chamando ô dondô…

Trabalho um tantão assim

Cansaço é bastante sim

A roupa um tantão assim

Dinheiro um tiquinho assim…

Tô lavando a minha roupa

Lá em casa estão me chamando ô dondô…

Everybody run run run

Everybody scatter scatter…

Some people lost some blood …

Colo colo mentality …

Eu não sou daqui…

Eu não tenho nada

Tristeza não tem fim a felicidade sim …

Meu coração é a liberdade…

They leave sorrow tears and blood


ESTA MELODIA

Quando vem rompendo o dia

Eu me levanto começo logo a cantar

Esta doce melodia que me faz lembrar

Daquelas lindas noites de luar

Eu tinha um alguém sempre a me esperar

Desde o dia em que ela foi embora

Eu guardo esta canção na memória

Desde o dia em que ela foi embora

Eu guardo esta canção na memória

Eu tinha a esperança que um dia

Ela voltasse para minha companhia

Deus deu resignação

Ao meu pobre coração

Não suporto mais tua ausência

Já pedi a Deus paciência


EU NÃO SOU DA SUA RUA

Eu não sou da sua rua,

Eu não sou o seu vizinho.

Eu moro muito longe, sozinho.

Estou aqui de passagem.

Eu não sou da sua rua,

Eu não falo a sua língua,

Minha vida é diferente da sua.

Estou aqui de passagem.

Esse mundo não é meu,

Esse mundo não é seu


EU SEI

Um dia eu vou estar à toa

E você vai estar na mira

Eu sei que você sabe

Que eu sei que você sabe

Que é difícil de dizer

O meu coração

É um músculo involuntário

E ele pulsa por você

Um dia eu vou estar contigo

E você vai estar na minha

Enquanto eu vou andando o mundo gira

E nos espera numa boa

Eu sei, eu sei

Eu sei


GENTILEZA

Apagaram tudo

Pintaram tudo de cinza

A palavra no muro

Ficou coberta de tinta

Apagaram tudo

Pintaram tudo de cinza

Só ficou no muro

Tristeza e tinta fresca

Pelas ruas da cidade

Merecemos ler as letras

E as palavras de Gentileza

Por isso eu pergunto

A vocês no mundo

Se é mais inteligente

O livro ou a sabedoria

O mundo é uma escola

A vida é o circo

Amor palavra que liberta

Já dizia o profeta


GOTAS DE LUAR

Se eu pudesse roubar

as gotas de luar

que vi brilhar

nos olhos teus

guardava aquele encanto

para enfeitar meu pranto

na hora do adeus

Sei que muito breve

tu irás me esquecer

eu sei que vou sofrer

por culpa da minha paixão

eu devia te deixar

mas vou continuar

para castigar

meu pobre coração


LENDA DAS SEREIAS

Oguntê, Marabô

Caiala, e sobá

Oloxum, Ynaê

Janaina e, Yemanjá

O mar misterioso mar

Que vem do horizonte

É o berço das sereias

Lendário e fascinante

Olha o canto da sereia

lalaó, oquê, ialoá

Em noite de lua cheia

Ouço a sereia cantar

E o luar sorrindo

Então se encanta

Com a doce melodia

Os madrigais vão despertar

Ela mora no mar

Ela brinca na areia

No balanço das ondas

A paz ela semeia

E quem é?

Oguntê, marabô

Caiala, e sobá

Oloxum, Ynaê

Janaina, e Yemanjá

Olha o canto da sereia

lalaó, oquê, ialoà

Em noite de lua cheia

Ouço a sereia cantar


MAGAMALABARES

Magamalabares

Acqua Marã

O parquinho oxáiê

Quem esteve aqui

via barquinho de gazeta

Ancorar no mistério

Notas musicais

Dentre bolas de sabão

que de nossas serenatas vieram

Flores que ofertamos

e que nunca morrerão

em vasos e jarros se bronzeiam

Os anjos de onde vem sua vida bem-vinda

Os livros não são sinceros

Quem tem Deus como império

No mundo não está sozinho

Ouvindo sininhos


MARAÇÁ

No meu filme

Pinta baticum na mesa

Alegria com cerveja

Entidades e nações

Mudo e surdo

Encapadas em capetas

Língua que lambe ninfetas

Lata maraçá e fome

Gangazunga lobisomem

Samirá que vira homem

Rum pi lé rum

É vendaval, é ilusão

E eu e você no carnaval

No carnaval

E a glória de nada

Me valeria

Minha atlântida Bahia

Ilha de reuniões

E agora já que tenho

Companhia

Talvez veja outro filme

Lâmina mulher Maria

Uma voz

Que guia guia

Bimotor que silencia

Rum pi lé rum

É vendaval, é ilusão

É eu e você no carnaval

No carnaval

Do you believe me

Can you hear me


MARIA DE VERDADE

Pousa-se toda Maria

no varal das 22 fadas nuas lourinhas

Fostes besouro Maria

e a aba do Pierrot descosturou na bainha

Farinhar bem, derramar a canção

Revirar trens, louco mover paixão

Nas direções, programado e emoldurado

Esperarei romântico

Sou a pessoa Maria

Na água quente e boa gente tua Maria

Voa quem voa Maria

e a alma sempre boa sempre vou à Maria

Farinhar bem, derramar a canção

Revirar trens, louco mover paixão

Nas direções, programado e emoldurado

Esperarei romântico

Tou vitimado no profundo poço

na poça do mundo

do céu amor vai chover

Tua pessoa Maria

Mesmo que doa Maria

Tua pessoa Maria

Mesmo que doa Maria


MUSTAPHA

Mustapha está por dentro

Mustapha falou e disse

Mustapha, há quanto tempo …

‘Que que ‘cê acha, Mustapha ?

Mustapha conhece o cara

Mustapha, aquele abraço

Se você visse Mustapha

Mustapha em grande estilo

Mustapha, talvez viesse …

Mustapha via satélite

Seja bem-vindo agora

Câmbio, Mustapha, câmbio


NA ESTRADA

Ela vai voltar, vai chegar

E se demorar, I’ll wait for you

Ela vem, e ninguém mais bela

Baby, I wanna be yours tonight

Sem botão, no tempo, no topo, no chão

em cada escada, a caminhada a pé, de caminhão

Seu horário nunca é cedo aonde estou

e quando escondo a minha olheira

é pra colher amor

Sala sem ela tem janela

inclina em cerca de atenção

Ela vem, e ninguém mais

ela vem em minha direção

Sala sem ela tem janela

inclina em cerca de atenção

Ela vem, e ninguém mais

bela vem em minha direção


NÃO É FÁCIL

Não é fácil

Não pensar em você

Não é fácil

É estranho

Não te contar meus planos

Não te encontrar

Todo dia de manhã

Enquanto eu

tomo meu café amargo

É ainda boto fé

De um dia

te ter ao meu lado

Na verdade

eu preciso aprender

Não é fácil, não é fácil

Onde você anda

Onde está você

Toda vez que saio

Me preparo

para talvez te ver

Na verdade

eu preciso esquecer

Não é fácil, não é fácil

Todo dia de manhã

Enquanto eu tomo

meu café amargo

Eu ainda boto fé

De um dia

ter você ao meu lado

O que eu faço

O que posso fazer?

Não é fácil, Não é fácil

Se você quisesse

ia ser tão legal

Acho que eu seria

mais feliz

Do que qualquer mortal

Na verdade

não consigo esquecer

Não é fácil

É estranho


NÃO VÁ EMBORA

E no meio de tanta gente

eu encontrei você

Entre tanta gente chata

sem nenhuma graça

Você veio

E eu que pensava

que não ia me apaixonar

Nunca mais

Na vida

Eu podia ficar feio

só perdido

Mas com você

eu fico mais bonito

Mais esperto

E podia estar tudo agora

dando errado para mim

Mas com você

Dá certo

Por isso não vá embora

Por isso não me deixe nunca,

nunca mais

Por isso não vá,

não vá embora

Por isso não me deixe,

não me deixe mais

Eu podia estar sofrendo

caído por aí

Mas com você

eu fico mais feliz

Mais desperto

Eu podia estar agora

sem você

Mas eu não quero

Não quero


O CÉU

O céu vai tão longe está perto

o céu fica em cima do teto

o céu tem as quatro estações

escurece de noite, amanhece com o sol

O céu serve a todos

o céu ninguém pode pegar

o céu cobre a terra e a lua

entra dentro do quarto, rua do avião

Dentro do universo mora o céu

O céu pára-quedas e saltos

o céu vai do chão para o alto

o céu sem começo nem fim

para sempre serei seu fã

Olhai pro céu, olhai pro chão


O QUE ME IMPORTA

O que me importa

seu carinho agora

Se é muito tarde

para amar você

O que me importa

se você me adora

Se já não há razão

para lhe querer

O que me importa

ver você sofrer assim

Se quando eu lhe quis

você nem mesmo soube

dar amor

O que me importa

ver você chorando

Se tantas vezes

eu chorei também

O que me importa

sua voz chamando

Se pra você jamais

eu fui alguém

O que me importa

essa tristeza em seu olhar

Se o meu olhar

tem mais tristezas

pra chorar

que o seu

O que me importa

ver você tão triste

Se triste fui

e você nem ligou

O que me importa

o seu carinho agora

Se para mim

a vida terminou


O XOTE DAS MENINAS

Mandacaru quando fulora lá na seca

É um sinal que a chuva chega no sertão

Toda menina que enjoa da boneca

É sinal de que o amor já chegou no coração

Meia comprida não quer mais sapato baixo

Vestido bem cintado não quer mais vestir gibão

Ela só quer só pensa em namorar

De manhã cedo já tá pintada

Só vive suspirando sonhando acordada

O pai leva ao doutor a filha adoentada

Não come nem estuda não dorme nem quer nada

Ela só quer só pensa em namorar

Mas o doutor nem examina, chamando o pai do lado

Lhe diz logo em surdina que o mal é da idade

E que pra tal menina

Não há um só remédio em toda medicina

Ela só quer, só pensa em namorar


PALAVRAS AO VENTO

Ando por aí querendo te encontrar

Em cada esquina paro em cada olhar

Deixo a tristeza e trago a esperança

Em seu lugar

Que o nosso amor pra sempre viva

Minha dádiva

Quero poder jurar que essa paixão jamais será

Palavras apenas

Palavras pequenas

Palavras momento

Palavras, palavras

Palavras, palavras

Palavras ao vento


PARA VER AS MENINAS

Silêncio por favor

Enquanto esqueço um pouco

a dor no peito

Não diga nada

sobre meus defeitos

E não me lembro mais

quem me deixou assim

Hoje eu quero apenas

Uma pausa de mil compassos

Para ver as meninas

E nada mais nos braços

Só este amor

assim descontraído

Quem sabe de tudo não fale

Quem não sabe nada se cale

Se for preciso eu repito

Porque hoje eu vou fazer

Ao meu jeito eu vou fazer

Um samba sobre o infinito


PERDÃO VOCÊ

Cores imagens

Cores imagem

Cores imagens

Cores

Originais as cores

Demais as flores

E mais amores

Não me ensina a morrer

Que eu não quero

Há diferença abstinente

No prosseguir da gente

Sei que a tendência

Anda nas frestas

No decidir da mente

É como se perder de deus

E eu não quero

Eu não quero perder

Eu não quero te perder

Perdão Você


PRECISO ME ENCONTRAR

Deixe-me ir, preciso andar

Vou por aí a procurar

Rir pra não chorar

Quero assistir ao sol nascer

Ver as águas dos rios correr

Ouvir os pássaros cantar

Eu quero nascer, quero viver

Deixe-me ir preciso andar

Vou por aí a procurar

Rir pra não chorar

Se alguém por mim perguntar

Diga que eu só vou voltar

Quando eu me encontrar

Quero assistir ao sol nascer

Ver as águas do rio correr

Ouvir os pássaros cantar

Eu quero nascer, quero viver

Deixe-me ir, preciso andar

Vou por aí a procurar

Rir pra não chorar


ROSA

Tu és, divina e graciosa, estátua majestosa do amor

Por Deus esculturada e formada com ardor

Da alma da mais linda flor de mais ativo olor

Que na vida é preferida pelo beija-flor

Se Deus me fora tão clemente aqui nesse ambiente de luz

Formada numa tela deslumbrante e bela

O teu coração junto ao meu lanceado pregado e crucificado

Sobre a rósea cruz do arfante peito teu

Tu és a forma ideal, estátua magistral oh alma perenal

Do meu primeiro amor, sublime amor

Tu és de Deus a soberana flor

Tu és de Deus a criação que em todo coração sepultas o amor

O riso, a fé e a dor em sândalos olentes cheios de sabor

Em vozes tão dolentes como um sonho em flor

És láctea estrela, és mãe da realeza

És tudo enfim que tem de belo

Em todo resplendor da santa natureza

Perdão, se ouso confessar-te eu hei de sempre amar-te

Oh flor meu peito não resiste

Oh meu Deus quanto é triste a incerteza de um amor

Que mais me faz penar em esperar em conduzir-te um dia aos pés do altar

Jurar, aos pés do onipotente em preces comoventes de dor

E receber a unção da tua gratidão

Depois de remir meus desejos em nuvens de beijos

Hei de te envolver até meu padecer de todo fenecer


SEGUE O SECO

A boiada seca

Na enxurrada seca

A trovoada seca

Na enxada seca

Segue o seco sem sacar que o caminho é seco

sem sacar que o espinho é seco

sem sacar que seco é o Ser Sol

Sem sacar que algum espinho seco secará

E a água que sacar será um tiro seco

E secará o seu destino seca

Ô chuva vem me dizer

Se posso ir lá em cima prá derramar você

Ó chuva preste atenção

Se o povo lá de cima vive na solidão

Se acabar não acostumando

Se acabar parado calado

Se acabar baixinho chorando

Se acabar meio abandonado

Pode ser lágrimas de São Pedro

Ou talvez um grande amor chorando

Pode ser o desabotoado céu

Pode ser coco derramando


SOU SEU SABIÁ

Se o mundo for desabar

sobre a sua cama

E o medo se aconchegar

sob o seu lençol

E se você sem dormir

tremer ao nascer do sol

Escute a voz de quem ama

ela chega aí

Você pode estar

tristíssimo no seu quarto

Que eu sempre terei

meu jeito de consolar

É só ter alma de ouvir,

e coração de escutar

E nunca me farto

do uníssono com a vida

Eu sou, sou sua sabiá

Não importa

onde for vou te catar

Te vou cantar te vou

te vou te vou te vou

Eu sou, sou sua sabiá

O que eu tenho eu te dou

E tenho a dar

Só tenho a voz cantar,

cantar, cantar, cantar


SOUTH AMERICAN WAY

Ai, ai, ai, ai

É o canto do prigoneiro

Que com sua harmonia

Traz alegria

In South American Way

Ai, ai, ai, ai

E o que faz em seu tabuleiro

Vende pra ioiô

E vende pra iaiá

In South American Way

E vende vatapá

E vende caruru

E vende mungunzá

Vende umbu

No tabuleiro tem

Oi tem de tudo tem

E só não tem meu bem

Berenguendem

Ai, ai, ai, ai

Have you ever danced in the tropics?

With that hazy lazy

Like, kind of crazy

Like South American Way

Ai, ai, ai, ai

Have you ever kissed in the moon light

In the grand and Glorious

Gay Notorious

South American Way


TEMA DE AMOR

Eu conheço todo jeito

Todo o vício, sem te tocar

Chôro indo, chôro vindo

Conheço o fascínio,

alto de altar

Desconheço a certeza

Que te fez exagerar,

e abrir meus poros

Cavar flores sem lhe ver

Seda pra envolver,

envolver querer

Com as cores que te dei

Pedra tua cor,

seja pelo amor

Meu amor, meu amor

Meu amor, meu amor

Lavar flores sem lhe ver

Chega pra envolver,

envolver querer

Lavrador ou semideus

Queima de amor,

seja como for

Tema de Amor


TEMPOS MODERNOS

Eu vejo a vida melhor no futuro

Eu vejo isso por cima do muro

de hipocrisia que insiste em nos rodear

Eu vejo a vida mais farta e clara

Repleta de toda a satisfação

Que se tem direito

Do firmamento ao chão

Eu quero crer no amor numa boa

E que isso valha prá qualquer pessoa

Que realizar a força que tem uma paixão

Eu vejo um novo começo de era

De gente fina, elegante e sincera

Com habilidade pra dizer mais sim do que não

Hoje o tempo voa amor

Escorre pelas mãos

Mesmo sem se sentir

E não há tempo que volte amor

Vamos viver tudo o que há prá viver

Vamos no permitir


TUDO PELA METADE

Eu admiro o que não presta

Eu escravizo quem eu gosto

Eu não entendo.

Eu trago o lixo para dentro

Eu abro a porta para estranhos

Eu cumprimento.

Eu quero aquilo que não tenho

Eu tenho tanto a fazer

Eu faço tudo pela metade.

Eu não não percebo.

Eu falo muito palavrão.

Eu falo muito mal.

Eu falo muito.

Eu falo mesmo.

Eu falo sem saber o que estou falando.

Eu falo muito bem.

Eu minto


UM BRANCO, UM XIS, UM ZERO

Você partiu e me deixou

Sem lamentar o que passou

Sem me apegar ao que apagou

E acabou

Não me lembro bem da sua cara

Qual a cor dos olhos

Já nem sei

Só o cheiro do seu cheiro

Não que me deixar mais em paz

Nos ares dos lugares

Onde passo e onde nunca estás

Você partiu e não voltou

Eu já esqueci o que me falou

Se prometeu ou se jurou

Seu amor

Já não me recordo mais seu nome

Quais os outros nomes

Que te dei

Só o cheiro do seu cheiro

Não consegue ser tão fugaz

Nas pessoas, peles, colos

Sexo, boca, onde nunca estas

Você partiu e foi melhor

E eu já me esqueci de cor

Do som, do ar, do tom, da voz

E de nós

Já passei um pano

Um branco, um zero, um xis

Um traço, um tempo, já passei

Só o cheiro do seu cheiro

Não consigo deixar para trás

Impregnado o dia inteiro

Nessa roupa que não tiro mais


VOLTE PARA O SEU LAR

Aqui nessa casa ninguém quer a sua boa educação.

Nos dias que tem comida, comemos comida com a mão.

E quando a polícia, a doença, a distância ou alguma discussão

Nos separam de um irmão,

Sentimos que nunca acaba de caber mais dor no coração.

Mas não choramos à toa,

Não choramos à toa.

Aqui nessa tribo ninguém quer a sua catequização.

Falamos a sua língua mas não entendemos seu sermão.

Nós rimos alto, bebemos e falamos palavrão

Mas não sorrimos à toa.

Não sorrimos à toa.

Aqui nesse barco ninguém quer a sua orientação.

Não temos perspectiva, mas o vento nos dá a direção.

A vida que vai à deriva é a nossa condução.

Mas não seguimos à toa.

Não seguimos à toa.

Volte para o seu lar,

Volte para lá